Aguarde...

Genealogia

Família Coelho Rodrigues

Descendentes de Valério Coelho Rodrigues

Genealogia

Família Coelho Rodrigues

Família Coelho Rodrigues

Descendentes de Valério Coelho Rodrigues

Genealogia de Valério Coelho Rodrigues

Genealogia de Valério Coelho Rodrigues

O presente trabalho tem como objetivo apresentar a Genealogia de Valério Coelho Rodrigues e seus descendentes, com a finalidade de preservar a memória dos nossos ancestrais.

Procuramos realizar um estudo abrangente, baseado em várias publicações sobre o assunto, relacionadas nas Referências Bibliográficas, complementado por pesquisas realizadas por membros do Grupo de Genealogia Valério Coelho Rodrigues e por outros genealogistas e familiares.

Durante essas novas pesquisas, recorremos a variadas fontes, sendo a maioria dos dados obtidos por meio de pesquisas em páginas da internet, especialmente em sites de genealogia, como o FamilySearch. Cabe destacar as cópias de valiosos registros obtidos por Francisco Antônio Alencar, junto ao professor do curso de História da UFPI, Mairton Celestino da Silva, atual coordenador do Núcleo de Pesquisa e Documentação em História (NUPEDOC).

O trabalho inicialmente apresenta as origens de Valério Coelho, em Portugal, relacionando os familiares próximos e os seus antepassados. Em seguida é mostrado o que se sabe sobre o período em que viveu no Brasil. Como parte principal deste estudo, são relacionados os nomes dos filhos de Valério e Domiciana, com seus respectivos descendentes, mostrando-se também um resumo de suas biografias. Em seguida serão apresentados alguns dados relevantes sobre a festa do tricentenário, ocorrida em 2013. Finalmente, serão relacionados alguns descendentes de Valério Coelho, que possuem correspondência de DNA, procurando enfatizar a importância desta ferramenta moderna, nas pesquisas genealógicas.

Lembramos que esta obra não deve inibir a realização de novos estudos sobre o assunto. Ao contrário, deve servir de base para outros trabalhos mais aprofundados sobre determinados ramos, dentre os diversos que constituem a descendência de Valério Coelho e Domiciana Vieira de Carvalho.

Esperamos que esse trabalho possa representar para nossa família, um elo permanente entre nossos antepassados e as gerações atuais e para isto solicitamos a todos os familiares que informem os nomes dos descendentes ainda não incluídos e nos ajudem a mantê-lo atualizado. Se possível, informem o nome completo, filiação, data e local de nascimento, nome do cônjuge, nome dos filhos, onde viveram e, se já for falecido, a data do óbito. Lembramos que os nomes dessas pessoas devem ser encabeçados por alguém que já conste do trabalho, para facilitar a identificação. De preferência, digitem os novos nomes na cor vermelha, para facilitar a distinção.

O lançamento do site da Associação dos Descendentes de Valério Coelho (ADVC), neste 1º de junho de 2021, é um marco importante para todos nós que estamos empenhados na preservação da memória de Valério Coelho e seus descendentes.

Iniciamos hoje uma nova etapa no processo de estreitamento dos nossos laços familiares, iniciado há dez anos, quando apresentamos a ideia de nos reunirmos em Paulistana, em 2013, para comemorar o tricentenário de nascimento do nosso patriarca.

O êxito do Encontro de Paulistana despertou o interesse de muitos descendentes, que a partir de então passaram a pesquisar sobre a origem e os nomes de seus antepassados. Este foi um dos fatores que contribuíram para a criação do Grupo de Genealogia Valério Coelho Rodrigues, em 2019. As pesquisas desenvolvidas por seus membros possibilitaram a descoberta de valiosos registros, que adicionados aos dados disponíveis em publicações ou obtidos em outras fontes, resultaram na elaboração de um abrangente trabalho sobre a descendência de Valério Coelho, que estará aqui neste site.

Entretanto, o fato mais importante nessa trajetória foi, sem dúvida, a fundação da ADVC, em 1º de janeiro de 2021. Hoje, apenas cinco meses depois de criada, a Associação já alcança sua primeira meta, inaugurando este moderno meio de comunicação.

Agradeço a todos que de alguma forma contribuíram para alcançarmos esses objetivos e solicito aos descendentes que se associem e colaborem, no que for possível, para o crescimento da Associação.

Por José Carmoberto Moreira Costa

Este 1º de junho realmente ficará marcado na história do português Valério Coelho. Sabemos que Programas de Genealogia bons e seguros, custam caro. Já os que são grátis, permite que qualquer um possa em alguns casos, digitar o que quiser e destruir a sua árvore. Aqui, vocês encontraram um espaço para onde poderão enviar as suas informações familiares, e juntos montaremos nossa árvore, que certamente ficará muito frondosa

Através do email parente@coelhorodrigues.ong.br, você poderá enviar seus dados e da família para adicionarmos, para tanto, é necessário que informe a ligação com alguém que já conste no site

Através do email corrigir@coelhorodrigues.ong.br, você poderá nos informar dados que estejam errados no site, os quais, comprovados, faremos a correção,

Através do email faleconosco@coelhorodrigues.ong.br, você poderá tratar de outros assuntos.

Sejam todos bem vindos e navegem à vontade.

Por Elias Rodrigues

Valério Coelho Rodrigues nasceu em um domingo, dia 3 de setembro de 1713, no lugar Assento, na Freguesia de São Salvador do Paço de Sousa, em Portugal.

Conforme se observa no seu Registro de Batismo, cuja transcrição se encontra abaixo, ele foi batizado em 5 de setembro de 1713, pelo Padre Manuel Pinto Rebêllo, na Igreja de São Salvador, situada próxima do local onde ele nasceu. Foram seus padrinhos: Manoel de Souza e Maria, esta filha de João Martins e de Catarina de Souza.

Transcrição do Registro de Batismo:

"Valério filho de Domingos Coelho e de sua mulher Agueda Rodrigues do lugar do Assento nasceo aos três dias do mês de Setembro do anno de mil setecentos e treze foi baptizado nessa Igreja Parochial de seus pais aos cinco dias do dito mês, por mim Manuel Pinto Rebêllo Coadjutor desta Igreja; foram padrinhos o Licenciado Manuel de Souza e Maria filha da família de João Martins e de sua mulher Catharina de Souza, fregueses dessa Igreja e moradores no dito lugar do Assento. Testemunhas Luis da Silva e Thereza, Solteira."

O Lugar de Origem

A vila de Paço de Sousa, onde Valério Coelho nasceu, situa-se no norte de Portugal, no vale do rio Sousa, a 30 Km da cidade do Porto, que é a sede do distrito. Atualmente é uma freguesia do Conselho de Penafiel e tem cerca de quatro mil habitantes (ano de 2020).

O seu nome deriva do Paço de Trutesindo Galindes e de sua mulher Dona Anímia Sisnandus, fundadores do mosteiro, e por estar situada no Vale do Sousa.

O rio Sousa é um afluente da margem direita do rio Douro com uma extensão de 65 km.

É importante salientar o significado do Mosteiro de São Salvador de Paço de Sousa, na história dessa região. Foi fundado no século X por D. Trutesindo Galindes, ascendente de Egas Moniz, que fez erguer neste local o seu paço.

D. Egas Moniz, o 'Aio', a quem foi confiada a educação de D. Afonso Henriques, o primeiro Rei de Portugal, foi sepultado em 1146 na Igreja do Mosteiro, em mausoléu com legenda e pedras adornadas. Ele tornou-se uma figura lendária na história daquele país, por ser um homem honrado e leal ao Rei.

No período em que Valério Coelho lá viveu, Paço de Sousa era formada por um conjunto de pequenos núcleos populacionais, à época chamadas 'aldeias'. Essas localidades ainda guardam os mesmos nomes daquela época.

O lugar 'Assento', onde Valério nasceu e viveu, está situado próximo ao Mosteiro de Paço de Sousa, em cuja Igreja ele foi batizado. Também ali, no adro da referida Igreja, estão sepultados quase todos os ancestrais de Valério Coelho.

Aqui você pode ver e navegar na genealogia de Valério Coelho Rodrigues.

VALÉRIO COELHO RODRIGUES NO BRASIL

Não há uma informação precisa sobre a data de chegada de Valério Coelho ao Brasil. Há relatos que teria chegado no começo da década de 1730. Corroborando este dado, o pesquisador Francisco Antônio de Alencar encontrou no Arquivo da Arquidiocese de Teresina, em 25 de junho de 2021, o livro de Batismos da Freguesia de Oeiras, do período de 1704 a 1735. Naquela ocasião, o escritor Reginaldo Miranda, que estava com Alencar, localizou um assento de batismo, datado de 29 de março de 1735, no qual Valério Coelho aparece como padrinho. Abaixo, cópia do original e transcrição deste primeiro documento oficial, que confirma a sua presença no Brasil.

“Aos vinte e nove de março de mil cete sentos e trinta e cinco no Saco do Riacho Seco baptizei e pus os Santos Oleos a Alexandre filho natural de Maria escrava de Ilário Vieira. Padrinhos Valério Coelho e Antônia Vieira solteira, em verdade do que fiz este assento que assigno, dia, era ut supra. Reverendo Coadjutor André da Silva”.

DOMICIANA VIEIRA DE CARVALHO

Segundo Abimael Ferreira de Carvalho, no livro “Família Coelho Rodrigues – Passado e Presente”, página 761, Domiciana Vieira de Carvalho, era filha de José Vieira de Carvalho e de Maria Freire da Silva, vindos de São Paulo, no ano de 1719, que se radicaram no lugar Paulista. Além de Domiciana, o autor relaciona os seguintes filhos do casal: Ana Vieira de Carvalho, c/c Manoel José dos Santos; Antônia Vieira de Carvalho, c/c Nicolau José Nogueira; José Vieira de Carvalho, c/c Maria Pereira da Silva; Hilário Vieira de Carvalho, c/c Maria do Rego; Aniceto Vieira de Carvalho, padre; Florêncio Vieira de Carvalho; Francisco Vieira de Carvalho; e Marcos Vieira de Carvalho.

Ainda sobre esse assunto, Reginaldo Miranda diz que, “no verão de 1719, adentrou o sertão do Piauí uma última bandeira de paulistas, com o objetivo de povoar o território, estabelecendo-se no vale do rio Canindé. Entre seus integrantes estava o casal José Vieira de Carvalho, o colonizador e Maria Freire da Silva, trazendo consigo alguns filhos, entre esses Hilário Vieira de Carvalho”. Acrescenta que, “naquele mesmo ano também chegou à ribeira do Canindé, proveniente da vila de Cachoeira, na Bahia, uma família portuguesa constituída pelo capitão-mor Manoel do Rego Monteiro, sua esposa Maria da Encarnação e diversos filhos. Diz ainda que, “em pouco tempo, o paulista Hilário Vieira de Carvalho convolou núpcias com dona Maria do Rego Monteiro, filha desse último casal, unindo, assim, as duas famílias pioneiras da conquista do sertão.

Em julho de 2021, com base no livro de batismos de Oeiras 1704 – 1735, já mencionado, o pesquisador José Ernandes encontrou o assento de batismo adiante transcrito: “Em 18 de Mayo de 1728 no Canindé fazenda da Volta aonde disse Missa o Reverendo Antônio Rodrigues Tavares de licença minha baptizou, e pos S. Oleos a Inocente Dimiciana filha legítima de Hilario Vieyra de Carvalho, e de sua mulher Maria da Incarnação, P.P. o Capitam mor Manoel do Rego Monteiro, em verdade do que mandei fazer este assento em que me assino. Thome Carvalho e Silva – Vigário”.

Assento de Batismo de Domiciana Vieira de Carvalho (cópia do original)
Fonte: Livro de Batismos de Oeiras, 1704 – 1735.
Pesquisado por José Ernandes, em julho de 2021.

Entretanto, somente em 26 de abril de 2022, foi possível confirmar que Domiciana Vieira de Carvalho era a mesma do registro acima, natural do Piauí e não de São Paulo, filha de Hilário Vieira de Carvalho e Maria da Encarnação do Rego Monteiro, portanto neta e não filha de José Vieira de Carvalho e Maria Freire da Silva. Esta importante descoberta foi feita pela genealogista Ivonete Paixão, ao pesquisar o processo de genere, de 1793, de cinco netos de Valério e Domiciana (Valério, Francisco, Manoel, José e Antônio de Sousa Machado), cujo original se encontra no Arquivo Público do Maranhão. Outros dados encontrados nesse documento, serão apresentados mais adiante.

Hilário Vieira de Carvalho e Maria da Encarnação do Rego Monteiro, tiveram os seguintes filhos:

  1. Custódio Vieira de Carvalho, padre da freguesia de Nossa Senhora da Vitória, de Oeiras – PI. Faleceu antes de 1785. Fazenda a Volta
  2. Manoel do Rego Monteiro, c/c Maria Pereira do Rosário. Fazenda Juazeiro
  3. Antônio do Rego Monteiro, c/c Ana Maria de Jesus. Fazenda Chapada.
  4. Antônia do Rego Monteiro, batizada em 2 de outubro de 1726.
  5. Domiciana Vieira de Carvalho, batizada em 18 de maio de 1728, c/c Valério Coelho Rodrigues.
  6. Luiz do Rego Monteiro, c/c Ana Maria da Conceição. Fazenda Capim Grosso.
  7. Florência do Rego Monteiro, c/c Manoel José dos Santos. Fazenda Juazeiro.
  8. Floriano do Rego Monteiro, nascido em 1732. Fazenda Ferramenta.
  9. Hilário Vieira de Carvalho, o moço, nascido em 20 de dezembro de 1733, c/c Josefa Maria da Conceição, filha de Antônio Pereira da Silva e Maria da Purificação. Fazenda Várzea Grande, termo de Jerumenha.
  10. Jerônimo do Rego Monteiro, c/ em 30 de setembro de 1772, com Ana Ramos de Assunção, que ficara viúva de Antônio Borges da Silva
  11. José Vieira de Carvalho, c/c Maria Pereira da Silva, filha de Antônio Pereira da Silva e de Maria da Purificação. Fazenda a Volta
  12. Quitéria Vieira de Carvalho, nascida na fazenda a Volta, onde foi batizada em 13 de junho de 1736. Faleceu solteira, antes de 1785.
  13. Francisco Vieira de Carvalho, nascido em 1738, c/ em 29 de agosto de 1776, na fazenda Lagoa do Meio, com Perpétua da Costa e Silva, filha de João da Costa Veloso e de Maria da Silva Reimoa. Após o prematuro falecimento de Perpétua, em 8 de agosto de 1779, casou-se pela segunda vez com Ignácia Maria de Jesus, filha do português Antônio Alves Brandão e de Floriana Maria de Jesus.
  14. Eugênio Vieira de Carvalho
  15. Marcos Vieira de Carvalho

Valério Coelho Rodrigues e Domiciana Vieira de Carvalho, se casaram na década de 1740. Embora não haja registros, é provável que tenha ocorrido entre 1743 e 1745, quando ele tinha de 30 a 32 anos e ela, de 15 a 17 anos de idade. Essa hipótese é reforçada pela afirmação de José Teles, de que Valério “iniciou uma fazenda de criação de gado em princípio de 1745”, bem como pelo depoimento da testemunha José Afonso do Carmo, no processo de genere, de 1793, anteriormente mencionado, onde diz que “conhece Domiciana desde o ano de 1750, já vivendo com o seu marido”. Outro indicativo, são os nomes dos filhos do casal que constam da relação dos moradores das fazendas e roças da freguesia de Oeiras, elaborada pelo vigário Dionízio José de Aguiar, em 29 de maio de 1763, onde aparecem os nomes de apenas quatro filhos, provavelmente já adultos ou próximos da maioridade. Lá consta o seguinte:

Fazenda do Paulista e Carnaíbas
Valério Coelho Rodrigues
Domiciana Vieira, mulher
Gertrudes, filha
Anna, filha
José, filho
Valério, filho

Valério e Domiciana tiveram dezesseis filhos (oito homens e oito mulheres). Apenas um não deixou descendente, o José Teobaldo, citado como Irmão Jesuíta leigo, mas que acreditamos ter pertencido a outra ordem religiosa, pois à época os Jesuítas já haviam sido expulsos do Brasil, por ordem do Rei de Portugal.

Quanto aos demais filhos de Valério Coelho, casaram-se com pessoas de tradicionais famílias das Capitanias do Piauí, de Pernambuco e da Bahia, tais como: Sousa Martins, Araújo Costa, Mendes Vieira, Macedo, Mendes de Sousa, Freire de Andrade, Marques de Sousa, Costa Veloso, Barbosa de Carvalho, Lopes dos Reis, Ferreira de Carvalho, Machado de Sousa e Costa Mauriz.

Os filhos de Valério e Domiciana e seus demais descendentes estão relacionados no Anexo 1, deste trabalho.

Foram encontrados vários assentos de batismos de familiares e escravos de Valério Coelho, quando este ainda era vivo, entre eles de seu filho Manoel Rodrigues Coelho (7), ocorrido em 3 de agosto de 1767. Veja outros registros, abaixo:

“Aos vinte e oito dias do mês de agosto de mil setecentos e setenta e nove anos, em desobriga, o padre Custódio Vieira de Carvalho, de minha licença, na Capela de Nossa Senhora dos Humildes, batizou solenemente e pôs os santos óleos a Joaquim, filho legítimo de José Ferreira de Carvalho e de Gertrudes Rodrigues, foram padrinhos Valério Coelho Rodrigues e Domiciana Vieira, todos desta Freguesia, e para constar mandei fazer este Assento que assino. O Vigário Dionísio José de Aguiar”.

“Aos três de agosto de mil setecentos secenta e sete na Fazenda do Paulista Ribeira do Canindé, batizei solenemente e pus os santos óleos a Euzebio filho de Maria Rodrigues preta angolla solteira, escrava de Valério Coelho Rodrigues, pai incógnito. Forão padrinhos Thomas Francisco solteiro e Helena Rodrigues cazada, todos moradores na dita ribeira, de quatro mezes de nascido, e do que para constar mandei fazer este assento que assigno. O Vigário Dionizio José de Aguiar”.

“Aos dezenove de setembro de mil setecentos e secenta e oito, na Fazenda do Paulista batizei solemnementee pus os santos óleos a Florêncio, filho de Theodozia mulata solteira escrava de Valério Coelho Roiz. Forão padrinhos José Roiz Coelho, e Anna Roiz cazada moradores na dita fazenda, e do que para constar mandei fazer este assento que assino. O Vigário Dionizio José de Aguiar”.

“Aos quinze de outubro de mil sete centos e setenta e três na Fazenda do Paulista cabeceiras do Canindé baptizei soelemnemente e pus os santos óleos a Maximiniano filho de Anna preta Angolla solteira escrava de Valerio Coelho Rodrigues Pai incógnito; Forão Padrinhos Valerio Coelho Rodrigues moço, e sua irmã Thereza Rodrigues moradores na dita fazenda de três dias de nascido; do que para constar fiz este assento que assino. O Vigario Dionizio Joze de Aguiar”.

“Aos dezasete de dezembro de mil e sete centos e setenta e quatro na fazenda do Paulista baptizei solemne mente e pus os santos oleos a Ignacia filha de Benta preta gege escrava de Valerio Coelho Rodrigues pai incógnito moradores na fazenda das Carnaíbas. Forão Padrinhos Custodio Rodrigues e sua mulher Theodozia Pereira escravos de Valerio Coelho Rodrigues morador na fazenda do Paulista, de onze meses de nascido; de que para constar mandei fazer este assento que assigno aos treze de agosto de mil e sete centos e setenta e sinco. O Vigario Dionizio Joze de Aguiar”.

“Aos dezasete de dezembro de mil e sete centos e setenta e quatro na fazenda do Paulista Baptizei solemne mente e pus os santos oleos a Ignacia filha de digo Baptizei e et cetra a Luiza filha de Quiteria preta solteira de Nascam Angolla Escrava de Vallerio Coelho Rodrigues morador na dita fazenda. Foram Padrinhos Antonio Francisco Furtado e Maria preta Angola escrava do dito Senhor, de seis meses de nascida de que para constar mandei fazer este assento que assigno aos treze de agosto de mil e sete centos e setenta e sinco. O Vigario Dionizio Joze de Aguiar”.

Além de escravos, Valério Coelho era possuidor de muitas terras, em Pernambuco e no Piauí.

Diz José Teles (p 14): “Valério Coelho Rodrigues, comprou aos fidalgos da Casa da Torre grande extensão de terras que começava da fazenda da Cruz do Valério até parte do município de Jaicós. A fazenda Cruz do Valério era tão grande, que foi dividida em vinte fazendas, que são as seguintes: Amargosa, Jatobazinho, Santa Clara, Água Branca, Poço de Pedra, Cacimba, Desterro, Atalho, São Bento, Mudubim, Mary, Angical, Santo Antônio, Alegre, Volta, Garcinha, Garça, Rajada, Bom Jardim e fazenda Pau Ferro. Acrescenta o autor; “Está provado que o riacho do Pontal com todos os afluentes pertencia a Valério Coelho Rodrigues, pois na região ficaram filhos e netos”. Teles finaliza esse assunto afirmando: “O Capitão Valério Coelho, em 1783, possuía as seguintes fazendas:

  1. Paulista (Paulistana),
  2. Itainzinho (Jaicós),
  3. Ingá (Paulistana),
  4. Curimatá (Paulistana),
  5. Serra do Alferes José Barbosa,
  6. Boa Vista (Piauí),
  7. Boa Esperança (Padre Marcos – Jaicós),
  8. Mamonas (Jaicós),
  9. Carnaíbas (Paulistana),
  10. Serra Branca,
  11. Serra Nova Ribeira do Rio Piauí (São João do Piauí),
  12. Caboclo (Afrânio),
  13. Cachoeira (Afrânio),
  14. São João Velho (Dormentes – Petrolina),
  15. Cruz do Valério (Petrolina).

Conforme documento de 1762, que relaciona os possuidores de terras na Capitania do Piauí, ele possuía, então, as seguintes fazendas:

– “Fazenda Terra Nova, na Ribeira do Itaim, com quatro léguas de comprimento e légua e meia de largura, a qual comprou a Tomé Rabelo de Sepúlveda, que a tinha descoberto, e povoado”.

– “Fazenda Carnaíba, nas cabeceiras do Canindé, com seis léguas de comprimento, duas de largura, que era pertencente a dita fazenda da Cachoeira, a qual comprou ao dito Bernardo Dantas de Araújo, que a teria pela mesma razão na fazenda acima declarada”. A fazenda Paulista, embora já constando do Mapa Colonial do Piauí, de 1761, feito pelo italiano Henrique Antônio Galluzzi, não aparece no documento de 1762, do que se pode deduzir que ela foi estabelecida por Valério Coelho, dentro das terras da fazenda Carnaíba.

– “Fazenda Tranqueira, na Ribeira do Gurguéia, com quatro léguas de comprimento e uma de largo, conforme a seguinte descrição: “Valério Coelho Rodrigues, tem hua fazenda chamada a Tranqueira, cita nas margens do Ryo Goroguea, com quatro legoas de comprido, e hua de largo de hua e outra parte do mesmo Ryo; e assim mais pesue, da parte dalem deste em distancia da casa da fazenda três legoas, pelo Ryacho das pedras asima, uma pequena possão de terra, que terá de largura ainda menos de meya legoa, nas partes em que mais largura tem, com outros partes allem tão limitada, que não pode dar utilidade alguma para criação de gados; E da parte daquem do dito Ryo, na distancia de quatro legoas da mesma caza da fazenda, pesue também uns currais, que tem no Ryacho chamado do Estreitto, aproveitandosse da terra que há por elle asima na dita distancia que terá meya legoa de largo em huas partes e em outras menos, a qual fazenda ahemattou no Juízo dos auzenttes, por fallecimentto do Padre Domingos da Costta que também a tinha ahemattado por morte de João Carvalho Ramos, que havia dela alcançado data, não confirmada”.

Posteriormente, outras propriedades foram adquiridas por Valério Coelho, entre elas as citadas abaixo, que em 1762, ainda pertenciam a Antônio Rabello de Sepúlveda e tinham as seguintes características:

– “Fazenda Curimatá, no Riacho do Gentio, com três léguas de comprimento e duas de largura, da qual dizem que tem data, mas sem confirmação”.

– “Fazenda Canabrava. O mesmo Antônio Rabello de Sepúlveda, possui esta fazenda como testamenteiro de seu tio Alexandre Rabello de Sepúlveda, no mesmo riacho, com três léguas de comprimento, outro tanto de largura, a qual descobriu e povoou o dito seu tio”.

– “Fazenda Boa Esperança, também como testamenteiro do dito seu tio, com três léguas de comprimento, e outro tanto de largo, a qual também foi descoberta e povoada pelo dito Alexandre Rabello”.

– “Fazenda Serra, no Riacho da Salgadinha, também como testamenteiro do dito seu tio, com quatro léguas de comprimento e três de largura, a qual teve o mesmo descobridor e povoador”.

– “Fazenda Boa Vista, como testamenteiro do dito seu tio Alexandre Rebello de Sepúlveda, com quatro léguas de comprimento e três de largura, a qual foi povoada e descoberta pelo dito seu tio”.

– Fazenda Mamonas, no Riacho Mamonas, com quatro léguas de comprimento e três de largura, a qual também povoa; e tanto desta como de todas as demais de que tá de posse o dito Antônio Rabello, e ainda das da testamentaria, dizem há data, mas sem confirmação. (4).

Outra propriedade de Valério Coelho, a Fazenda Caboclo, em Pernambuco, situava-se no caminho denominado “travessia velha”, pelo qual viajavam os tropeiros que seguiam do Piauí para a Bahia.

Domiciana Vieira de Carvalho faleceu em 1781, com 53 anos de idade e Valério Coelho, em 6 de outubro de 1782, com 69 anos de idade.

Existem registros posteriores ao falecimento de Valério e Domiciana, que mostram alguns aspectos interessantes sobre as suas vidas. Um deles é o processo de genere encontrado pela genealogista Ivonete Paixão, em pesquisa realizada no dia 26 de abril de 2022, do qual ela extraiu os dados abaixo:

Autos civis de Justificação de Genere em que são justificantes Valério de Sousa Machado e seus irmãos abaixo declarados.

Ano do nascimento de nosso Senhor Jesus Cristo de mil setecentos e noventa e três anos aos doze dias do mês de Agosto do dito ano nesta cidade de Oeiras do Piauí e casa de morada do Reverendo Vigário Paroquial desta dita cidade de Oeiras o Doutor Francisco Raimundo de Araujo Juiz comissário, aonde eu escrivão de Juizo Eclesiástico ao diante nomiado...”...“sendo ali por ele dito Ministro me foi entregue...Carta Requisitória de Genere vinda do Arcebispado da Cidade da Bahia para o Bispado do Maranhão, a favor de Valério de Sousa Machado, Francisco de Sousa Machado, Manoel de Sousa Machado, José de Sousa Machado e Antônio de Sousa Machado todos irmãos...”

“... carta requisitória a favor de Valério, Francisco, Manoel, José e Antônio de Sousa Machado, naturais da Freguesia do Senhor Bom Fim da Mata Filhos legítimos de Francisco Machado de Sousa natural da Ilha graciosa Bispado de Angra, e de Domiciana Vieira de Carvalho da mesma Freguesia e cidade de Oeiras do Piauí deste Bispado, neto paterno de Francisco Machado de Sousa da mesma ilha Graciosa e de sua mulher Dona Maria Espinola de Mendonça, da mesma ilha e Bispado e maternos de Valério Coelho Rodrigues da Freguesia de Penafiel Bispado de Porto e sua mulher Domiciana Vieira de Carvalho natural da sobredita freguesia e cidade de Oeiras Piauí, para refazerem diligencias de genere...”

Aos trinta dias do mês de agosto de Mil setecentos e noventa e três anos nesta cidade de Oeiras do Piaui...

“Pedro Celestino Vieira, José Afonso do Carmo, Quitéria Liberata de Morais Rego, Antônio Gomes da Cruz, Caetano de Cea Figueredo, Antônio Rodrigues de Carvalho, Francisco Vieira de Sá, Francisco Antonio..., Antonio do Rego Castelo Branco, José Pereira Manojo* a todos para jurarem na inquirição dos habilitandos...”

Aos 30 dias do mês de Agosto de mil setecentos e noventa e três nesta cidade de Oeiras...

...Pedro Celestino Vieira, homem branco casado natural da cidade do Maranhão e morador nesta cidade que vive de seu negocio de idade que disse ser quarenta e nove anos pouco mais ou menos testemunha jurada... disse que sabe de ciência certa que Domiciana Vieira de carvalho, avó materna dos habilitandos era irmã legitima dos Padre Custodio Vieira de Carvalho, habilitado de genere neste bispado, por ter deles bastante conhecimento, naturais, batizados e moradores nesta freguesia de Oeiras tendo ele testemunha conhecimento deles a vinte anos pouco mais ou menos...disse que tem bastante conhecimento de Valerio Coelho rodrigues Avô materno dos habilitandos foi homem dos da governança desta cidade e capitania cujo vivia de suas fazendas de gados vacum e cavalar, e que ignora a sua naturalidade, e que só sabia que era de Portugal, e que residindo neste bispado anos bastantes...”

José Afonso do Carmo homem pardo casado morador no seu sito Santo Isidorio do termo desta cidade, onde de presente e face, que vive de seus bens de idade que disse ser de cinquenta e nove anos pouco mais ou menos testemunha jurada... disse que tem bastante conhecimento de Domiciana Vieira de Carvalho, avó materna dos habilitandos, cuja era irmã legitima do Padre Custodio Vieira de Carvalho, habilitado de genere neste bispado natural, batizada e moradora nesta freguesia de Oeiras, e que ele testemunha conheceu a dita avó dos habilitandos desde o ano de mil setecentos e cinquenta vivendo em companhia de seu marido que foi dos da governança desta capitania e a razão que tem de seu conhecimento é por ter tido negócios com seu pai Hilario Vieira de carvalho... disse conheceu desde que chegou nesta freguesia no ano de mil setecentos e quarenta e nove a Valério Coelho Rodrigues avô materno dos habilitandos cujo vivia de suas fazenda de gado, homem branco e dos principais desta capitania, mas que não sabendo com certeza a sua naturalidade de ouvir dizer que era de Portugal, e que nunca ouve fama, ou rumor, residindo ele nesta freguesia mais de cinquenta anos, que pudesse prejudicar os habilitandos seus netos, o que tudo sabe por ser este homem bem conhecido, e ter servido de ouvidor interno e mais cargo da governança nesta capitania ...”

Quitéria Liberata de Morais Rego mulher branca casada moradora nesta cidade que vive de seus bens de idade que disse ser de sessenta anos pouco mais ou menos testemunha jurada... “...disse que Domiciana Vieira de Carvalho avó Materna dos habilitandos era bem conhecida dela testemunha, e que era irmã legitima do Padre custodio Vieira de Carvalho habilitado de genere neste bispado, o que tudo sabe por serem ela testemunha os ditos Domiciana Vieira de Carvalho e o dito Padre Custodio Naturais, batizados e moradores nesta mesma freguesia, aos quais conheceu desde o primeiro ano que teve uso da razão ... em que morrerão vivendo sempre a dita Domiciana avó materna dos habilitandos em companhia de seu marido...” ...Espaço de quarenta anos conheceu Valério Coelho Rodrigues, avô materno dos habilitandos, homem branco dos da Governança desta cidade cujo vivia de suas fazendas de gados, e que não sabe donde era natural sabe porem que ...” “...disse tendo ela testemunha alguma amizade com Domiciana Vieira de Carvalho, avó materna dos habilitandos...”

Antônio Gameiro da Cruz, homem branco solteiro morador na sua fazenda do Alegre e dos da Governança desta cidade e nela adjunto do... governo que vive de seus bens, idade de que... cinquenta e seis anos pouco mais ou menos testemunha jurada...” “disse que Domiciana Vieira de Carvalho avó materna dos habilitados foi conhecida dele testemunha irmão do padre Custodio Vieira de Carvalho, habilitado de genere neste Bispado, natural, batizada e moradora nesta mesma freguesia de oeiras Piaui, vivendo sempre nesta companhia de seu marido o que tudo sabe pelo conhecimento que deles teve... de quarenta anos pouco mais ou menos...” “...disse que pelos mesmos quarenta anos mais ou menos conheceu ele testemunha o Valério Coelho Rodrigues, avô materno dos habilitandos, cujo vivia das fazendas de gados que possuía, homem branco dos da governança desta cidade tinha vindo por natural de Portugal...”

Caetano de Cea de Figueredo homem branco, casado morador nesta cidade de Oeiras ajudante do Terço de Infantaria auxiliar e nele capitão graduado e dos da Governança desta mesma cidade que vive de seus bens de idade de que disse ser de sessenta e cinco anos pouco mais ou menos testemunha jurada...” “disse que conheceu muito bem Domiciana Vieira de Carvalho, avó materna dos habilitandos, irmã legitima do Padre Custodio Vieira de Carvalho, habilitado de genere neste Bispado natural, batizada e moradora nesta mesma freguesia de Oeiras do Piaui o que tudo sabe pelo conhecimento que tem ele testemunha desta avó dos habilitandos no espaço de vinte ou trinta anos mais ou menos vivendo ela em companhia de seu marido...” “disse que a mais de trinta anos tempo em que ele testemunha chegou nesta cidade conheceu Valério Coelho Rodrigues, avô Materno dos habilitandos exercendo o cargo de Juiz ordinário nesta cidade vivendo das sua fazendas que possuía, homem branco e natural segundo ouviu dizer da freguesia de Penafiel Bispado de Porto...”

Antônio Rodrigues de Carvalho homem com sua carta de pardo natural da vila de campo maior desta capitania, e morador nesta cidade que vive de seus bens de idade que disse ser de sessenta e um ano pouco mais ou menos testemunha jurada...” “...disse que pelo espaço de quarenta e cinco anos pouco mais ou menos conheceu a Domiciana Vieira de Carvalho, avó materna dos habilitandos e irmã legitima do Padre Custodio Vieira de Carvalho, habilitado de genere neste bispado, natural batizada e moradora nesta freguesia de Oeiras do Piaui, vivendo sempre em companhia de seu pai no estado de solteira e no estado de casada em companhia de seu marido...” “...disse que João Damasceno Ferreira de Carvalho cujo nome se acha na carta requisitória por João Ferreira de Caralho, é bem conhecido dele testemunha cujo é neto de Valério Coelho Rodrigues, avô materno dos habilitandos, e tão bem Primo legitimo destes, o que sabe por...sujeito nesta freguesia bem conhecido, mas que não sabe que ele se acha habilitado de genere neste Bispado...” “disse que pelos mesmos quarenta e seis anos pouco mais ou menos conheceu a Valério Coelho Rodrigues avô materno dos habilitandos homem branco natural de Portugal, o que sabe tanto por ajuda-lo na fazenda das Poções onde foi criador, como nas que ao depois possuio e que em todo este tempo nunca ouvi fama ou rumor que pudesse prejudicar os habilitandos seus netos...”

Aos sete dias do Mês de setembro de mil setecentos e noventa e três na cidade de Oeiras do Piaui...

Francisco Vieira de Sá homem com sua carta de pardo casado natural desta cidade de Oeiras do Piauí nesta morador que vive de seu negocio de idade que disse ser de trinta anos pouco mais ou menos testemunha jurada...” “...disse que a vinte quatro anos pouco mais ou menos conheceu a Domiciana Vieira de Carvalho, avó materna dos habilitados irmã legitima do Padre Custodio Vieira de Carvalho, habilitado de genere neste bispado natural batizada e moradora nesta dita freguesia do Piauí, o que sabe porque a vio repetidas vezes tem dela conhecimento em companhia de seu marido...” “...disse que Valério Coelho Rodrigues avô materno dos habilitandos foi pessoa bem conhecida dele testemunha por ter servido nas ocupações... nesta capitania, homem branco e vivia de suas fazendas de gados que possuía, natural da freguesia de Penafiel Bispado digo da freguesia de Penafiel, Bispado de Porto, e que ... tempo a cima declarado de vinte quatro anos, não tem ouvido ele testemunha, nem sabe ... em ... de bastante conhecimento que teve do dito Valerio Coelho fama ou rumor que possa servir de prejuízo aos habilitandos seus netos...” “ disse que rendo alguma amizade com os ascendentes dos habilitandos...”

Antonio do Rego Castelo Branco, cavaleiro ... na ordem de Cristo ajudante da cavalaria auxiliar e procurador da coroa e fazenda real natural da vila de Jeromenha, e morador nesta cidade de Oeiras do Piauí que vive de seus bens de idade que disse ser de quarenta e cinco anos pouco mais ou menos testemunha jurada...” “...disse que conheceu muito bem a Domiciana Vieira de Carvalho avó Materna dos habilitandos irmã legítima do Padre Custódio Vieira de Carvalho natural, batizada e moradora nesta dita freguesia de Oeiras do Piauí, conhecida por ele testemunha a mais de trinta anos vivendo sempre ela em companhia de seu marido...” “disse que pelo mesmo espaço de mais de trinta anos teve conhecimento de Valerio Coelho Rodrigues, dos habilitandos, digo Rodrigues, avô materno dos habilitandos, homem branco dos da Governança desta cidade que vivia de suas fazenda de gado natural do Reino de Portugal e que durante este tempo de trinta anos não ouviu, nem ouve fama, ou rumor, que pudesse prejudicar os habilitandos seus netos...”

Aos doze dias do mês de setembro de mil setecentos e cincoenta e três anos...

José Pereira Manojo, homem branco solteiro natural da cidade da bahia morador nesta cidade de Oeiras do Piaui que vive de seu negocio de fazenda de idade que disse ser quarenta e cinco anos pouco mais ou menos testemunha jurada...” “...disse que a mais de vinte anos conheceu Domiciana Vieira de Carvalho avó materna dos habilitandos e irmão legitima do Padre Custodio Vieira de Carvalho habilitado de Genere neste bispado natural, batizada e moradora nesta dita freguesia vivendo sempre em companhia de seu marido, o que sabe pelos ter visto juntos...” “...disse pelo mesmo espaço de mais de vinte anos conheceu ele testemunha o Valerio Coelho Rodrigues avô materno dos habilitandos sendo de Ouvidor interno nesta capitania homem branco que vivia de suas fazendas de gados, e que em todo o tempo a cima declarado não ouve fama, ou rumor, que pudesse prejudicar os habilitandos seus netos, porem não sabe da onde fosse natural , ouviu dizer que era de Portugal...”

José João Bechiman Sacerdote secular Escrivão da Camera Eclesiastica nesta cidade do Maranhão Certifico que em cumprimento do despacho proferido nestes autos ap 5 do que da Requisitoria revendo um livro findo de assento de batizados da Freguesia de oeiras do Piauì deste Bispado, nele ap 68 achei o assento de batismo de Domiciana Vieira de Carvalho, a qual é do teor seguinte “ Aos desanove dias do mês de julho de mil setecentos e cincoenta e nove anos na fazenda do Paulista Ribeira do Canindé o Revendo Padre José de Figueredo da companhia de Jesus andando em desobriga com licença minha batizou solenemente e pós os santos oelos a Domiciana filha legitima de Valério Rodrigues Coelho e de sua mulher Domiciana Vieira: foi padrinho Ilario Vieira de Carvalho solteiro todos desta freguesia, do que para constar fiz este assento que assinei O vigário encomendado Francisco Rodrigues Fontes” e não continha mais em assento aqui fielmente copiado do próprio...”

ENCONTRO NACIONAL DOS DESCENDENTES DE VALÉRIO COELHO

O tricentenário de Valério Coelho Rodrigues transcorreu em 3 de setembro de 2013. Entretanto, a ideia de comemorar essa data histórica, em um Encontro Nacional dos Descendentes, em Paulistana, foi apresentada dois anos antes, quando José Carmoberto Moreira Costa, residente em Brasília, enviou mensagens para alguns familiares e para o "Blog do Evangelista", que divulgou a notícia, despertando o interesse de muitos familiares.

Mais tarde, o Manoelito Coelho fez contato com o Carmoberto e sugeriu o nome do Cosme Cavalcanti, para coordenar o evento. Foi então criada uma "Comissão Organizadora", com a participação dos dois citados, incluindo mais o José Florêncio e o Josinaldo Sousa (Paquera).

A Comissão fez então um planejamento inicial, elaborou uma proposta de programação e realizou os contatos com o Prefeito de Paulistana, Gilberto Melo (Didiu) e com o Padre Pio, pároco daquela cidade, que apoiaram a ideia.

Durante esta fase, o então Governador do Piaui, Wilson Martins, que tomara conhecimento do evento programado, ligou para o Carmoberto dispondo-se a apoiá-lo. Em consequência, além da dimensão maior que passou a ter a festa programada, ocorreram dois fatos importantes: a criação de uma condecoração em homenagem ao nosso genearca, a "Ordem Estadual Valério Coelho"; e, o Projeto de criação do "Memorial Valério Coelho", idealizado pelo Cosme Cavalcante.

Em 1º de setembro de 2013, foi então realizado em Paulistana - PI, o "Encontro Nacional dos Descendentes de Valério Coelho", alusivo ao seu tricentenário de nascimento, com a participação de centenas de familiares de diversas partes do País, além de autoridades federais, estaduais e municipais, muitos destes também descendentes de Valério, como o ministro Fernando Bezerra Coelho, o governador Wilson Martins e o prefeito Gilberto Melo (Didiu).

A festa do tricentenário, obedeceu a seguinte programação:

  • Missa em frente à Igreja Matriz de Paulistana.
  • Lançamento da Pedra Fundamental do Memorial Valério Coelho.
  • Ato Público na Praça Valério Coelho.

A Cerimônia Religiosa foi iniciada com a apresentação de um quadro com uma pintura estilizada do busto de Valério Coelho e do livro histórico com a assinatura dos presentes. Em seguida ocorreu a missa, celebrada por Dom Augusto, Bispo Emérito de Floriano - PI, e concelebrada por vários padres, a maioria deles, assim com Dom Augusto, descendentes de Valério Coelho.

O lançamento da pedra fundamental do Memorial Valério Coelho, ocorreu em uma praça ao lado da Igreja. Infelizmente, o belo projeto elaborado pelo Arquiteto Cosme Cavalcante, ainda não foi transformado em realidade.

O ato público iniciou com a obliteração do selo comemorativos ao tricentenário, seguindo-se os discursos das autoridades e as palavras de agradecimento do Coordenador e do Idealizador do Encontro. Posteriormente houve a entrega das medalhas da Ordem Estadual Valério, cuja relação de agraciados nesta e em outras ocasiões, consta no Anexo 1. Finalizou com a leitura do Cordel "Valério Coelho Rodrigues - Patriarca do Sertão", feita pelo autor, Paulo Robério. (Anexo 2).

Cabe lembrar que durante o evento, também foi realizada, na Casa Paroquial, uma exposição de peças do Museu Pai Chico, de Caboco, dirigido por Cosme Cavalcante, que recebeu um grande número de visitas.

O Deputado Paes Landim fez um discurso na Câmara dos Deputados, em 19 de setembro de 2013, especialmente para falar sobre o tricentenário de Valério Coelho Rodrigues. Ele citou os nomes das autoridades presentes e dos agraciados, elogiou a organização da festa, destacou o grande número de familiares presentes, discorreu sobre a vida do casal Valério Coelho e Domiciana Vieira de Caravlho e lembrou os nomes de alguns de seus ilustres descendentes.

Para aqueles que desejarem saber mais detalhes sobre o evento, sugerimos pesquisar na internet: "tricentenário de Valério Coelho".

O interesse pelas pesquisas genealógicas tem crescido nos últimos anos, tornando-se uma atividade muito praticada, sobretudo pela facilidade de acesso aos arquivos digitalizados disponíveis na internet.

Existem, atualmente, muitos sites especializados no assunto e um incontável número de páginas de família e grupos de "whatsapp", dedicados às pesquisas sobre os seus antepassados, como é o caso do nosso grupo "Valério Coelho", responsável pela elaboração deste trabalho.

Estamos no patamar de uma revolução no campo da biotecnologia em que o sequenciamento do nosso DNA está sendo popularizado. Para os genealogistas, isto abre as portas de um novo mundo: em vez de confiar exclusivamente nos registros disponíveis, é possível usar diretamente a herança genética que foi sendo transmitida ao longo das gerações. Estima-se que aproximadamente trinta milhões de pessoas já fizeram esses testes, por meio de coleta da saliva para análise do genoma. A expectativa é de que, em poucos anos, mais de 100 milhões de pessoas no mundo tenham acesso a detalhes sobre sua ancestralidade. Os principais provedores de testes de DNA ainda são estrangeiros. São eles: "AncestryDNA", "HomeDNA", " MyHeritageDNA" e "23andMe".

Enquanto espécie, e sob o ponto de vista genético, os humanos são extremamente semelhantes; no entanto, mesmo sendo relativamente reduzida, a diversidade existente nas populações humanas pode ser estudada com o objetivo de estabelecer relações de proximidade/afastamento entre as mesmas. No contexto atual da Genética de Populações Humanas, os estudos assentam principalmente na análise direta da variação presente no genoma dos indivíduos pertencentes às várias populações atuais.

O genoma humano abarca a totalidade de informações presente no DNA, existente no núcleo das nossas células, o genoma nuclear, que se encontra compactado em 46 cromossomas. Um cariótipo humano normal é constituído por 44 cromossomas não sexuais (autossomas) e 2 cromossomas sexuais (gonossomas ou heterocromossomas), assim designados por serem os que definem o sexo. No homem o par de cromossomas sexuais é o XY, e na mulher o XX.

Além da informação contida no DNA nuclear, o genoma humano engloba, também, a informação presente no DNA mitocondrial (mtDNA). O mtDNA, encontra-se nas mitocôndrias, organelas responsáveis pela produção da energia celular.

O "Projeto do Genoma Humano", iniciado nos Estados Unidos em 1990, produziu em 2001, o primeiro "rascunho" da sequência do genoma humano. Uma parte do DNA constituinte do genoma fornece informação acerca de características externas dos indivíduos (fenótipos), e designa-se por DNA codificante. A maior parte do DNA é, contudo, não codificante, ou seja, não contém informação diretamente responsável por características externas. É precisamente este o componente do DNA que acumula a maior variabilidade.

Pela maior diversidade acumulada são normalmente as zonas não codificantes as usadas nos estudos de diversidade das populações humanas. São atualmente utilizados vários tipos de marcadores moleculares, que têm como característica obrigatória a presença de polimorfismos, ou seja, de um número elevado de variantes. Tal implica que, se indivíduos de várias populações forem estudados relativamente a um conjunto de marcadores genéticos, a variação presente pode ser comparada, estabelecendo-se, assim, semelhanças ou diferenças entre essas populações.

Já houve alguns casos de pessoas que descobriram ser descendentes de Valério Coelho, após realizarem esse teste.

Vamos apresentar a seguir, vários descendentes de Valério Coelho cujos testes mostraram correspondências de DNA, embora não conheçamos alguns deles: Ivonete Sousa da Paixão, Umbelina Leônidas Coelho (Cúrcio), Flávia Cúrcio, Vinicius Cúrcio, José Carmoberto Moreira Costa, Damário Nonato, Eder Coelho, Deusimar Telles, Dominique Andrade Amorim Dias, Adriana Silveira, Maria Theresa Costa Telles, Valdenice Amorim dos Santos Leal, Israel Amorim Barbosa, Victor Passos, Andrey Coelho, Lelcineide Sousa, Mirian Fabíola Studart Gurgel Mendes, Marli Amorim, Francisco Gonçalves, Dominique Andrade Amorim, Fernando Guedes Nastari Saia, Manoel Vítor de Sousa

  1. A Ordem Estadual Valério Coelho Rodrigues foi instituída pelo Decreto nº 15.311, de 19 de agosto de 2013, do Governo do Piauí.

  2. De acordo com o Decreto nº 13.319, de 26 de agosto de 2013, as seguintes pessoas foram agraciadas com a medalha Valério Coelho, entregues em 1º de setembro de 2013, por ocasião da festa do tricentenário:
    • Abimael Carvalho, post mortem;
    • Adalberto Cavalcanti Rodrigues;
    • Antônio Ferreira Damasceno, ex-Prefeito de Paulistana;
    • Antônio Fonseca dos Santos Neto;
    • Dom Augusto Alves da Rocha, Bispo Emérito de Floriano;
    • Benedito de Carvalho de Sá (B. Sá), ex-Deputado Federal;
    • Cosme José Cavalcanti Ramos;
    • Davina Antônia da Conceição;
    • Edmundo Clemente Rodrigues;
    • Dagoberto Ferreira de Carvalho Júnior, Médico e Escritor;
    • Edvaldo Pereira de Moura, ex-Presidente do Tribunal de Justiça do Piauí;
    • Gilberto José de Melo, Prefeito de Paulistana;
    • Francisco Augusto Santana de Macedo;
    • Francisco José Pereira de Cavalcante;
    • Gustavo Conde Medeiros;
    • Helena Gomes Rosendo de Oliveira;
    • Irene Coelho Damasceno Cavalcante;
    • João Crisóstomo de Oliveira;
    • João Henrique Ferreira de Alencar Pires Rebêlo;
    • José Carmoberto Moreira Costa;
    • José Cavalcante Ramos (Zelice);
    • José de Anchieta Mendes de Oliveira,
    • José Florêncio Coelho Filho;
    • Kleber Dantas Eulálio, Prefeito de Picos;
    • José Evangelista de Lima Sobrinho;
    • José Luiz Martins Maia;
    • José Pio Feitosa Marinho;
    • José Tadeu Cavalcante Amorim;
    • José Teles;
    • Josinaldo Miguel de Sousa;
    • Júlio Emílio Lossio de Macedo;
    • Luís Coelho da Luz Filho;
    • Manoelito Cavalcante Coelho;
    • Osvaldo de Sousa Coelho;
    • Raimunda Ana Coelho de Melo;
    • Renato Luís Sapucaia Bandeira;
    • Rodrigo Rodrigues de Souza Martins;
    • Rubem Nunes Martins;
    • Wilson Nunes Brandão.

  3. Agraciados em 2014:
    • Francisco Coelho Marques
    • Francisco Simão Ramos
    • Francisco Rodrigues Feitosa
    • Hucênio Marques Damasceno
    • João Edilson Macedo
    • Joaquim Júnior Coelho
    • José Damasceno Cavalcante
    • José Edilson Macedo
    • José Vieira de Araújo
    • Manoel Luís Cunha Cavalcante
    • Maria do Socorro Coelho
    • Paulo Egídio de Sousa (inmemorian)
    • Ronivaldo Coelho Marques

A Associação do Descendentes de Valério Coelho (ADVC), com sede em Paulistana - PI, foi criada em 1 de janeiro de 2021, com a finalidade de preservar a memória de Valério Coelho Rodrigues, seus demais antepassados e congregar os seus descendentes.

Seus principais objetivos:

  • Organizar Encontros Nacionais e Regionais dos Descendentes de Valério Coelho.
  • Divulgar as principais datas e fatos relevantes, relacionados à história deste genearca e de seus descendentes.
  • Apoiar a publicação de livros e artigos que tratem da genealogia da família Coelho Rodrigues ou de algum dos seus diversos ramos.
  • Manter atualizados os registros com os nomes e principais dados biográficos dos descendentes de Valério Coelho e Domiciana Vieira de Carvalho.
  • Envidar esforços para que seja concretizada a criação do Memorial Valério Coelho Rodrigues, cujo projeto foi estabelecido pelo Governo do Piauí, em 2013.

ADVC - ASSOCIAÇÃO DOS DESCENDENTES DE VALÉRIO COELHO
CNPJ 41.246.426/0001-07 Rua Joaquim Macedo, 526 - Lagoa Paulistana-PI
CEP: 64.750-000 Fone: 89 99406-7390

Nós integrantes do Grupo de Genealogia Valério Coelho Rodrigues deixamos aqui registrado o mais elevado respeito e admiração que temos pelos familiares abaixo citados, que com abnegação, inteligência, motivação e perseverança, superaram as dificuldades de realizar suas pesquisas, devido às limitações naturais existentes em suas épocas, deixando valiosos registros sobre a descendência de Valério Coelho e Domiciana Vieira de Carvalho. Foram eles que nos deram o exemplo e nos permitiram prosseguir mais facilmente nesta importante missão de preservar a memória dos nossos antepassados.

  • Aarão Rodrigues Madeira
  • Abimael Clementino Ferreira de Carvalho
  • Anísio Coelho Rodrigues
  • Casemiro Rodrigues Coelho
  • Helvídio Clementino de Aguiar
  • Joaquim de Albuquerque Libório
  • Joaquim Rodrigues Coelho
  • José Teles
  • Narciso Rodrigues de Macedo

  • Almir Benício Coelho
  • Ana Lícia Maria Rodrigues
  • Antônio Loura de Macedo
  • Antônio Reinaldo Soares Filho
  • Aurélio de Macedo Rodrigues
  • Bazília Maria da Paixão
  • Bruno Rodrigues Costa
  • Claudivar Cirilo Costa
  • Cosme José Cavalcanti Ramos
  • Edinaldo de Sousa Santos
  • Eliane Madeira Moura Fé
  • Elias José Rodrigues
  • Elídio de Macedo Coelho
  • Eliene Costa Rodrigues
  • Felipe Alves dos Reis
  • Felipe Mendes de Oliveira
  • Fernando Carvalho de Araújo Costa
  • Florêncio Rodrigues Barbosa
  • Francisco Antônio de Alencar
  • Francisco Gioney Marques Rodrigues
  • Francisco José Monteiro dos Reis
  • Getúlio de Brito
  • Gilberto José de Sousa
  • Ivonete Sousa da Paixão
  • João Batista Coelho Neto
  • Joana Rodrigues Coelho
  • José Benício Filho
  • José Carlos Tajra Reis
  • José Carmoberto Moreira Costa
  • José Ernandes de Carvalho
  • José Jivonildo Damasceno
  • Jucelino Rodrigues Coelho
  • Leandro da Conceição Benício
  • Marcos José Rodrigues
  • Marcos Oliveira Damasceno
  • Maria das Graças Marques
  • Paulo Egídio de Sousa (Inmemórian)
  • Paulo Robério Rafael Marques
  • Raimundo Reis de Macedo
  • Reginaldo Miranda
  • Rita Maria Rodrigues

  1. ARAUJO, Magno José de Sá. Genealogia Pernambucana. Famílias Sertanejas. www.genealogiapernambucana.com.br.
  2. CARVALHO, Abimael Clementino Ferreira de. Família Coelho Rodrigues - Passado e Presente. IOCE.1987.
  3. CASTELO BRANCO, Homero. História do Piauí - Passageiros do Passado: Editora Nova Aliança.
  4. COSTA, José Carmoberto Moreira. Joaquim Alves da Costa e Josefa Benício Coelho - Ascendentes e Descendentes. Brasília - DF: Gráfica e Editora Marca, 2019.
  5. COSTA, José Carmoberto Moreira. Valério Coelho Rodrigues - Raízes em Portugal. Brasília - DF: Gráfica e Editora Marca, 2020.
  6. COSTA, José Carmoberto Moreira. Família Costa (não editado).
  7. COSTA, Floripe Isabel Reis. Bela Vista do Piauí. Goiânia, 2013.
  8. COELHO, Umbelina e Flávia Cúrcio. Família Coelho.
  9. DAMASCENO, José Jivonildo. Mãe Vencinha - Trineta do Capitão Valério Coelho Rodrigues. Família Rodrigues de Macedo - São Paulo - SP: Paruna Editorial, 2020.
  10. FAMILYSEARCH. Registros Genealógicos Online. www.familysearch.org
  11. LIMA, Iracilde Maria de Moura Fé. De Moura aos Moura Fé: Resgate de uma trajetória. Tersina: Expansão, 2005.
  12. MACEDO, Narciso Rodrigues de. Uma Viagem no Tempo - Passado e Presente. Juazeiro - BA: Gráfica Divictor, 2009.
  13. MIRANDA, Reginaldo. Memória dos ancestrais - parentes e contraparentes: uma genealogia do sertão. Coleção Genealogia Piauiense 2. Teresina - PI: APL, 2017.
  14. MIRANDA, Reginaldo. Piauienses Notáveis. Coleção Centenário 137. Teresina - PI: APL, 2019.
  15. MIRANDA, Reginaldo. Relação de todos os possuidores de terras desta capitania de São José do Piauhy. Revista do Instituto Histórico e Geográfico do Piauí. Ano 100, n 8. Teresina - PI: IHGPI, 2018.
  16. MYHERITAGE. Árvore Genealógica e DNA. Família de Valério Coelho e outras páginas.
  17. OLIVEIRA, Joaquim Mendes de. Família Mendes: Memórias e Descendência de Joaquim Mendes e Isabel Elisa. 3ª edição atualizada e ampliada. Teresina - PI, 2020.
  18. PROJETO RESGATE. Biblioteca Nacional. Projeto Resgate - Piauí (1684 - 1828). Site resgate.bn.br. 2020.
  19. SAMPAIO, Yony. Antigas Famílias do Sertão Pernambucano, Parte II (2017).
  20. SOARES FILHO, Antônio Reinaldo. Oeiras Municipal. Teresina, Gráfica Editora Júnior, 1992.
  21. TELES, José. Valério Coelho Rodrigues. Pesquisado e Organizado por José Teles 1954 - 1984. Petrolina - PE.
  22. TOMBO.PT (tombo.pt). Registros paroquiais portugueses para genealogia. Paróquia de Paço de Sousa. Registros de baptismos, casamentos, óbitos e rol de crismados.
  23. UFPI. Registros paroquiais (batismos, casamentos e óbitos), de Jaicós, Oeiras, Valença e Picos.
Localidade
Nossos Patrocinadores
Doações e Pagamentos
Dados bancários da ADVC para recebimento de mensalidades, doações e outros créditos:
Nome: Associação V Coelho
CNPJ: 41.246.426/0001-07 (PIX)
Banco: 001 - Banco do Brasil S.A.
Agência: 1110-X
C. Corrente: 36589-0
OBS: Quem for efetuar a transferência de valores por PIX, utilizar como código o CNPJ acima.
Doadores
Links
Notícias

Evento reúne descendentes de Valério Coelho
Uma missa campal, seguida de cerimônias de entrega de medalhas, marcou a celebração dos 310 anos do colonizador português Valério Coelho Rodrigues, um dos principais patriarcas do Nordeste.
As comemorações ocorreram durante o 2º Encontro Nacional dos Descendentes de Valério Coelho, realizado sábado (2/9), no município de Paulistana – a 450 quilômetros de Teresina.
O evento relembrou fatos históricos do início da povoação de Paulistana, há cerca de 300 anos, comandada pelo Capitão da Coroa Portuguesa Valério Coelho Rodrigues, “Patriarca do Sertão”.
Foi o segundo encontro da família Coelho Rodrigues. O primeiro ocorreu em 2013, por ocasião dos 300 anos de nascimento do colonizador lusitano. ...

Felipe Mendes recebe Título de Cidadania em Piracuruca
O professor e acadêmico Felipe Mendes recebeu o título de Cidadão Honorário de Piracuruca em sessão solene da Câmara Municipal realizada na noite desta sexta-feira (28/07), no Auditório Lourdinha Brandão.
Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente da Câmara, vereador José Cardoso, o Zé Batata.
O título de cidadania para Felipe Mendes foi aprovado em 1991, por proposição do vereador Clidenor Cerqueira, já falecido.
O presidente da Academia Piauiense de Letras, Zózimo Tavares, participou da cerimônia.
Também prestigiaram a sessão o cirurgião dentista e professor universitário Gilberto Mendes, o engenheiro civil e professor Paulo de Tarso Cronemberger e o juiz Marco Antônio Mendes Moura, respectivamente irmão e sobrinhos do homenageado.
Vários outros amigos de Felipe Mendes, entre eles o ex-vereador Manoel Divino, participaram da homenagem. ...

Juiz João Gabriel Baptista é eleito novo desembargador do TJ
João Gabriel Furtado Baptista se emocionou e agradeceu ao pleno pela votação que obteve. O desembargador destacou que irá buscar agir com equilíbrio
O juiz João Gabriel Furtado Baptista foi eleito na manhã desta segunda-feira (3) o novo desembargador do Tribunal de Justiça do Piauí (TJPI). Ele o obteve a maior avaliação entre os nove inscritos na disputa. A sessão no pleno do TJ durou cerca de três horas.
O novo desembargador ocupava atualmente a 2ª Vara dos Feitos da Fazenda Pública. A data da posse ainda vai ser marcada pela presidência do TJ.
Resultado final:
João Gabriel Furtado Baptista – 192 pontos
Lucicleide Pereira Belo – 186 pontos
José Vidal de Freitas Filho – 181 pontos
...
Fonte: Cidade Verde

Acadêmico lança no Salipi o livro mais pesquisado sobre o Piauí
O livro “Economia e Desenvolvimento do Piauí”, lançado em segunda edição no 20º Salão do Livro do Piauí (Salipi), é o mais citado nas pesquisas bibliográficas sobre o Estado.
O autor da obra é o economista, professor e acadêmico Felipe Mendes, que fez a apresentação do livro no Bate-Papo Literário do Salipi, seguida de debate.
O livro foi publicado pela Editora da Universidade Federal do Piauí (EDUFPI), através de convênio com a Academia Piauiense de Letras.
A primeira edição saiu em 2003 e foi publicada pela Fundação Cultural Monsenhor Chaves.
A nova edição é revista e atualizada....

Pesquisadora brasileira residente na Itália descobre os verdadeiros pais da esposa de Valério Coelho
Por José Carmoberto Costa
26 de abril de 2022, foi um dia especial para os descendentes de Valério Coelho Rodrigues, com a descoberta feita pela genealogista Ivonete da Paixão Sousa, de um documento existente no Arquivo Histórico do Maranhão, onde consta que Domiciana Vieira de Carvalho era filha de Hilário Vieira de Carvalho e de Maria do Rego Monteiro. Até então, ela era considerada filha de José Vieira de Carvalho e de Maria Freire da Silva...

Luiz Ayrton toma posse na Academia de Medicina do Rio
O médico, professor e escritor Luiz Ayrton Santos Júnior, tomou posse ontem (07/04), à noite, como membro honorário da Academia de Medicina do Rio de Janeiro.
A sessão solene de posse dos novos membros titulares e honorários da Academia foi realizada no Palácio da Cidade, em Botafogo.
Os convites para a cerimônia foram assinados pelo prefeito do Rio, Eduardo Paes, e pelo presidente da Academia de Medicina do Rio de Janeiro, acadêmico Euderson Kong Tourinho.
Luiz Ayrton integra a Academia Piauiense de Letras, onde ocupa a Cadeira 16, e a Academia de Medicina do Piauí, da qual já foi presidente.

Descendentes de Valério Coelho criam associação e site
A partir de agora, informações sobre um dos troncos mais antigos das famílias do Piauí podem ser acessadas através de um site recém-criado pela Associação dos Descentes de Valério Coelho - ADVC. A associação foi fundada no início deste ano, com o objetivo de cuidar da preservação da história do português Valério Coelho Rodrigues e de seus descendentes. O seu primeiro presidente da entidade é Josinaldo Miguel de Sousa. São considerados sócios-fundados todos que se cadastraram até 31 de maio...

307 anos do Capitão Valério Coelho Rodrigues
Por José Jivonildo Damasceno Em 03 de setembro de 1713, na Freguesia de São Salvador do Paço de Sousa, cidade do Porto, Portugal, nascia Valério Coelho Rodrigues, filho de Domingues Coelho e de Águeda Rodrigues, Neto de Francisco Coelho com Maria Ferreira pelo lado paterno e de Bento Rodrigues com Isabel Antônia pelo lado materno. Valério Coelho tinha três irmãs e um irmão...


Nome Memorizado
Nenhum nome memorizado.
Dados do arquivo
Data: Quarta-Feira, 17-4-2024 15:59 BRT - DB1
Pessoas: 50.578
Famílias: 17.131
Contato